almaonline-planejamento-estrategico-final

Como Montar um Planejamento Estratégico para Ecommerce

O ecommerce deve fechar 2017 com 15% de crescimento em relação ao ano passado – de acordo com previsões da ABComm (Associação Brasileira de Comércio Eletrônico). Assim, muitas empresas que ainda não atuam nesse segmento estão de olho nesse crescimento, obviamente, para aumentar o seu faturamento.

Porém, para entrar nesse meio é essencial contar com um planejamento intenso, de preferência com a assessoria de uma empresa especializada nesse tipo de transação. Para desenvolver é fundamental uma profunda pesquisa e planejamento – para que a empresa consiga seus objetivos nesse meio que cresce e conta com muita concorrência

O planejamento requer o desenvolvimento de um plano de negócio sólido, além de um plano de marketing voltado com antecedência para o negócio ir a frente.

Esse planejamento estratégico tem de conter ainda objetivos totalmente claros e definidos. Trata-se de um dos pontos mais importantes quando a intenção é o processo de desenvolvimento de um ecommerce.

É preciso ainda contar com um planejamento estratégico que deve contar com desenvolvimento, manutenção e controle entre as metas e os recursos disponíveis nessa empresa.

Mas afinal, como montar então um planejamento estratégico para entrar no meio do ecommerce, de maneira a conduzir o seu novo negócio à frente dos concorrentes?

Confira algumas das características que esse planejamento estratégico deve ter:

O que um planejamento estratégico precisa ter para que você alavanque seu negócio?

1 – Defina o seu objetivo

Obviamente, antes de qualquer outra coisa a empresa precisa saber onde quer chegar e o que alcançar. Isso porque é fundamental trabalhar em direção exata do que você está pretendendo realizar.

Assim, para ter sucesso com ecommerce, no planejamento estratégico precisa existir um conjunto de metas intermediárias para que os objetivos sejam cumpridos, porque se as metas do projeto mudarem toda estratégia também mudará e assim será mais fácil defini-las.

É importante que as metas sejam estabelecidas respondendo algumas perguntas, como:

– O que estamos procurando alcançar?

– Como saberemos quando tivermos conseguido isso?

E para isso, a empresa, em seu planejamento estratégico, deve fixar metas alcançáveis e mensuráveis.

Quanto aos objetivos, a empresa deve defini-los com base no desempenho do seu passado e com estratégias de negócios. As metas devem ser viáveis, não adianta colocar metas surrealistas, que o planejamento estratégico inevitavelmente irá falhar.

2 – Entenda a sua Persona

Essa é uma parte também muito importante do planejamento estratégico para quem quer adentrar no universo de vendas virtual. É uma forma de definir o seu público-alvo e com quem você falará e venderá, principalmente se você pretende usar outras ferramentas do Marketing Digital, juntamente com o marketing de conteúdo e o Inbound Marketing.

Para criar as suas personas, procure um mercado geral e depois delimite os personagens em subgrupos. Assim você terá mais fácil a criação de sua persona. Não é preciso ter um grupo somente de personas, é provável que você chegue a subgrupos e terá, posteriormente, de trabalhar com elas com estratégias diferenciadas.

Outro fator importante que irá ajudar a formar seu planejamento estratégico é saber exatamente onde seu mercado-alvo e, mais especificamente sua persona está.

Quais blogs, jornais, revistas, eventos, aplicativos, lojas, canais de televisão que eles usam? Aonde eles vão fora do trabalho? Onde é que eles gostam de ir para o almoço? Isto é importante para direcionar suas campanhas de forma a atingir prontamente seu público.

3 – Plano de atração

Como você irá atrair visitantes ao seu site? O ideal é dividir as campanhas em áreas separadas, como planejamento estratégico de canais em andamento e campanhas pontuais e certeiras. Veja o que significa essas campanhas:

– Em andamento: atinge os os canais de comercialização do ecommerce usados para comercializar seus produtos, tais como Adwords ou recomendações de e-mail marketing. Você vai otimizar a cópia e direcionamento ao longo do tempo e testar novas ideias, mas normalmente todos eles giram em torno de um tema similar.

– Campanhas pontuais: elas duram apenas um período de tempo e são utilizadas em numerosos canais usando a mesma mensagem. Elas são projetadas especificamente para alcançar objetivos específicos, tais como o aumento da aquisição de novos clientes ou engate de acionamento por bater em pessoas de inúmeros pontos de contato ao longo de um período relativamente curto de tempo.

Um exemplo de campanha pontual é quando você usaria tal campanha seria algo como um lançamento de produto novo, uma venda ou uma grande competição que você está executando.

4 – Planejamento estratégico para conversão

É aqui que você fará melhorias no seu processo de vendas. A empresa pode melhorar sua conversão transformando novos visitantes em clientes, ou aumentando a conversão de visitantes em clientes potenciais.

5 – Métricas de sucesso

As métricas de sucesso contribuirão muito para a empresa mensurar o sucesso global de seu planejamento estratégico.

Essas informações são úteis para você otimizar o seu plano de marketing, o seu retorno de investimento e seu fluxo de caixa. As métricas devem estar diretamente relacionadas aos seus objetivos iniciais do planejamento estratégico.

E fazer um planejamento estratégico é essencial para garantir que você irá caminhar em um rumo mais realizável na sua empresa. Também, é claro, é fundamental para ficar por dentro do planejamento financeiro.

Quais são os passos essenciais para entrar no mundo do ecommerce?

1- Pesquisa e análise são essenciais para o ecommerce

Pesquise tudo o que puder sobre mercado online e marketing digital – sem isso não há mínima possibilidade de você ter sucesso em um ecommerce. Entenda onde a sua empresa pode entrar nele.

A ideia de que não é preciso um planejamento estratégico ou um plano de marketing, pois os negócios virtuais são mais baratos, são alguns dos fatores que fazem muitas empresas virtuais fracassarem no seu negócio.

Pelo contrário, é fundamentar fazer análises sobre a concorrência e a possibilidade de vender suas linhas de produto e serviços pela internet.

Algumas perguntas chaves podem te ajudar nessa análise, como: Esse produto vai vender na web? Já está saturado na internet? Mesmo que a resposta da última pergunta seja não, o produto é próprio para venda na internet?

Vale ressaltar que os produtos e serviços que alavancaram o comércio virtual esse ano foram os cosméticos, serviços de beleza, livros, medicamentos, eletrônicos em geral e itens de informática – de acordo com dados da consultoria de mercado digital E-bit.

Investir então nesses produtos? Bem, tais categorias já tem as suas personas, então é importante procurar outros nichos para se diferenciar no mercado online.

2- Legalize a sua empresa

Uma empresa de ecommerce também precisa ter todas as suas documentações em dia, mesmo sendo uma organização virtual.

É essencial ter as documentações do negócio em dia, como empresa legalmente estabelecida e CNPJ. Isso é essencial para adquirir status de empresa e não de vendedor informal de ecommerce.

Além disso, sem a documentação em dia você não poderá oferecer nota fiscal ao comprador – o que pode deixá-la bem inseguro em realizar compras na sua loja virtual.

3- Escolha a plataforma de vendas mais adequada

Plataforma de comércio eletrônico nada mais é do que o sistema que você vai escolher para realizar as vendas na internet. Atualmente existem muitas plataformas de todos os preços.

Escolher a plataforma depende de quanto você vai investir no negócio. O melhor é, antes de decidir pela plataforma, faça pesquisas.

Você pode ir ao Ciclo MPE.net – a programação passa pelo Brasil inteiro ao longo do ano. Assim pode, por exemplo, conhecer melhor os detalhes do comércio eletrônicos das plataformas.

Uma dica também é contar com profissionais especializados, que te darão todos os detalhes de cada plataforma disponível. Ou melhor, procure um desenvolvedor ou consultor de confiança e peça e contrate essa pesquisa para mais essa parte do planejamento estratégico de seu negócio online.

E outra, desconfie de preços muito abaixo dos praticados pelo mercado em geral. Optar por uma plataforma com tecnologia de baixa eficácia é mais um fator para fracassar no meio virtual.

Existem até plataformas de ecommerce gratuitas, mas sua empresa terá de configurá-la conforme o seu negócio, integrar sistemas de pagamento ou gateways e instalar ferramentas de medição, entre outras necessidades, exigem muita profissionalização – o que acabará fazendo sua empresa gastar o mesmo ou até mais do que contratando uma plataforma paga.

4- Soluções de pagamento

Vale ressaltar que quanto mais opções para pagamento o seu cliente tiver à disposição para ele na sua loja virtual, melhor e você tende a vender mais. Mas também quanto mais opções de pagamento, mais trabalho para o administrador da rede.

É recomendável que a loja virtual aceite, pelo menos, as principais formas de pagamento, como boleto bancário e cartões de crédito.

Uma consultoria afirma que existem 17 formas de pagamento por internet, mas obviamente você não precisa contar com todas elas na sua loja virtual.

5- Pesquisas de satisfação e avaliação da marca

É essencial saber a impressão e opinião do internauta e consumidores em relação a seu ecommerce e seu site. Assim, a empresa pode criar um canal de comunicação com o cliente que possibilite avaliar o serviço oferecido por sua loja virtual.

O cliente é um excelente parceiro para melhorar a qualidade de seus serviços pela internet. Essas pesquisas de opinião podem ser feitas no próprio site, telefone, endereço, formulário de contatos. E não se esqueça, as perguntas de opinião devem ser feitas de forma que permitam respostas claras e objetivas.

6- Tenha um bom parceiro de logística

Se sua empresa virtual será de varejo, a logística é um dos principais desafios para o ecommerce.

Pesquise parceiros logísticos de confiança para que os pedidos sejam entregues na data.

Atrasos na entrega são imperdoáveis, geram a maior parte de reclamações pelos consumidores e dificilmente um cliente que teve uma entrega com atraso voltará a comprar da sua loja virtual – portanto, contar com bons parceiros logísticos também faz parte do planejamento estratégico de um ecommerce.

Mesmo assim o produto vai atrasar? Então faça diferente da maioria das empresas de ecommerce, mande um comunicado ao cliente com nova previsão de entrega, já se desculpando pelo atraso.

7- Informações ao cliente

No ecommerce o cliente não está em contato com o produto, o que significa que ele deposita a sua confiança na empresa, aguarda a entrega e confia que a loja virtual vai atendê-lo, caso aconteça algum problema.

Se ele não consegue entrar em contato com a loja rapidamente, vai se sentir inseguro, e o equilíbrio desta relação vai se romper: a loja perde o cliente.

Existem muitas formas de manter o relacionamento com o cliente que compra, como o email, onde a empresa envia uma mensagem padrão para avisar da compra de produtos pelo cliente, da aprovação da compra e previsão de entrega.

Essa comunicação é fundamental para que o cliente se sinta seguro em relação à transação que acabou de fazer com a empresa.

Nos canais de venda web, essa comunicação não pode levar mais do que uma hora para ser feita. Mas se a empresa tem condições de investir mais, ela pode colocar à disposição do cliente um chat online.

Uma outra opção é investir em um canal de telefone, que possibilita uma comunicação ainda mais próxima com o cliente.

8- Tenha e seja claro sobre a política de privacidade, devolução e trocas

Política de privacidade, devoluções e troca de mercadorias são informações obrigatórias para estarem no site e também não deixa de estar entre o planejamento estratégico da empresa. Isso é importante para proteger a empresa, caso aconteça um desses casos citados, pois o cliente já estará previamente avisado.

Principalmente a política de devolução de produtos é importantíssima na hora do planejamento estratégico para montar o ecommerce pois evita desentendimento com clientes.

Alguns produtos podem ser danificados no transporte e a empresa precisa estar pronta para agir caso isso aconteça. Lembre-se: na rede transparência, clareza e linguagem direta valem confiança e fidelizam o cliente.

9- Cuidado com o manuseio dos produtos

Por falar em logística, é importantíssimo acondicionar produtos em embalagens adequadas – caso contrário pode esperar confusão à vista.

Por exemplo, livros e móveis precisa de cuidados para embalagem, mas não como, por exemplo, bolos de aniversário, flores e peixes de aquário, por exemplo. Atenção a isso na hora do planejamento estratégico.

10- Tenha um certificado de segurança

Os selos, como o próprio termo já fala, vai atestar a segurança do site. Há diversas empresas que conferem esses selos, a partir dos riscos que a loja virtual está exposta.

Com isso, as empresas dão um feedback orientando o cliente a criar um site mais confiável para ter o selo de segurança. Assim, o cliente pode navegar tranquilamente na sua loja.

Comece já o seu projeto com um planejamento estratégico de respeito!

Viu só como não é possível aderir ao mundo virtual sem um planejamento estratégico e vários outros detalhes? Então, siga as nossas sugestões e comece já o seu projeto.

Compartilhe em suas redes

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on print
Share on email